Já se sentiu injustiçado?

28.8.12


Já se sentiu injustiçado?
  
Neste fim de semana passei por uma situação que me entristeceu muito. E que me fez pensar a respeito de várias coisas. 

Acordei no sábado de manhã com a notícia de que meu cachorrinho de estimação havia morrido.
Do alto da sacada da minha casa vi o Snoopy deitadinho na calçada, imóvel. Um desespero invadiu meu coração. E a primeira reação do ser humano quando sofre uma perda é a negação. Como eu não sou diferente comecei a chorar e a negar na minha mente o que estava acontecendo: "Não, ele não morreu, não pode!!! Não acredito!!!"
Até que cheguei perto e constatando realmente que ele não se movia mais, caí em prantos. Então, comecei a imaginar o que havia ocorrido com ele, para que ele perdesse a vida assim, sem motivo.Meus pais haviam soltado ele como de costume, pela manhã, e quando meus eles voltaram, uma hora depois o Snoop já estava estendido no chão. Morto.
Todos da casa estavam tristes, chorando pela perda dele. E inconrformados, sem saber a causa do ocorrido. Suspeitávamos que fosse envenenamento, mas como saber? Decidimos não levá-lo ao veterinário, porque saber a causa da morte não o traria de volta à vida. Fiquei pensando no sofrimento dele, sentindo dores, voltando pra casa pra receber ajuda. Até que deitou exausto na calçada de casa.

Mas infelizmente não houve tempo. 
Mas a resposta à questão veio no mesmo dia, algumas horas depois. A suspeita se confirmou quando soubemos de mais outros cachorros que haviam morrido. E a causa seria um cidadão, sem temor a Deus, que teria colocado um alimento contendo veneno a alguns metros de minha casa com a intenção de se livrar dos animais pelo simples fato de eles terem latido pra ele. 
Quando soube disse eu fiquei revoltada. Gostar de animais ninguém é obrigado. Mas maltratá-los e matá-los além de ser maldade e crime, eu acredito que Deus não se agrade.  
Mas não estou escrevendo isso por revolta, ou desabafo.Quero aqui compartilhar o que Deus ministrou no meu coração. 
Quando senti essa revolta toda, chorei, chorei, chorei, e claro alguns sentimentos brotaram no meu coração.Eu quis o mal para o homem que fez isso. Se pudesse eu queria fazer justiça com minhas próprias mãos!

Depois de um tempo, Deus ministrou.O consolo Dele me libertou: 
"Porque a ira do homem não produz a justiça de Deus." (Tiago 1:20)
 Pois é, eu estava irada. E isso não produz a justiça de Deus, que é a perfeita justiça. 
A bíblia diz que não estamos imunes ao sentimento de ira: "Irai-vos e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira;" (Efésios 4:26)
O problema é o que acontece depois, se guardamos essa ira no nosso coração, ela cria raizes e produz frutos maus. E essa ira contaminou meu coração com maldade. E por isso preciso me purificar:
"Portanto, despojando-vos de toda impureza e acúmulo de maldade, acolhei, com mansidão, a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar a vossa alma." (Tiago 1:21)
Sabemos que a amargura e o ressentimento causam mal só pra nós mesmos. Ficamos cativos aos nossos sentimentos, prisioneiros da própria alma. E que se não perdoarmos àqueles que nos ofendem não seremos também perdoados por Deus, consequentemente nossa alma estará em perigo.
Como disse Jesus:
"Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará; se, porém, não perdoardes aos homens [as suas ofensas], tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas". (Mateus 6:14 e 15)
Temos que perdoar, 70 x 7 (Ou seja um perdão a cada 2,93 minutos para a mesma pessoa, e nem dá tempo de uma pessoa nos ofender tanto assim ...)
Mas o Espírito Santo foi mais longe... o Amor, sempre o amor. E não apenas o perdão. Difícil não é? Mas é uma decisão.
"Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem;" (Mateus 5:44)
Devo amar? Orar por ele Deus?
Isso mesmo. ( Ele me respondeu)
De que adianta amar só a quem me ama? Seremos igual à todos do mundo. Isso não é o amor que Jesus nos ensinou.
"Porque, se amardes os que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem os publicanos também o mesmo? "(Mateus 5:46)
E Jesus me lembrou de seu próprio exemplo na cruz.
"Quando chegaram ao lugar chamado Calvário, ali o crucificaram, bem como aos malfeitores, um à direita, outro à esquerda.Contudo, Jesus dizia: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. Então, repartindo as vestes dele, lançaram sortes." (Lucas 23:33 e 34)
Jesus amou os que lhe crucificaram, maltrataram, perdoou-lhes e intercedeu por eles.
Essa deve ser minha atitude quando me sinto injustiçado, maltrado, prejudicado. Quando me passarem a perna, quando falarem mal de mim. Quando traíram a minha confiança, me decepcionaram. Quando me magoaram, me acusaram, humilharam, desprezaram, ironizaram... Quando sinto que me deixaram de lado. Quando me fazem o mal.
Jesus foi morto e crucificado por amor a nós, e sua atitude perante seus "juízes", foi o amor.
Nós por muito menos queremos vingança, e ficamos magoados, viramos a cara com a pessoa...
Deus nos chama a ter esse amor. Esse perdão.
 Sentirei saudades do Snoop sempre. Do jeittinho dele andar, correr, brincar...
Mas, que esse mal se reverta em bem, em amor. Em perdão. Afinal, como diz em I Corintios 13:5, o amor não se ressente do mal.
Text: Giovanna Gondim

0 comentários