9 CIENTISTAS REVOLUCIONÁRIOS QUE ERAM CRISTÃOS

15.7.14









Apesar de tudo que fizeram, essas pessoas nunca viram a Bíblia como um obstáculo.

O Cosmos continua a chamar atenção e trazer ao país um interesse renovado (e necessário) na ciência, trazendo à tona a velha discussão sobre ciência e religião.

Há um senso comum de que ciência e religião são bem diferentes, e que é impossível uma convivência saudável entre ambos. Talvez isso até seja um pouco real, pois alguns representantes de ambos os lados sempre deram um jeito de descreditar o que o outro fez.

Entretanto, o que acaba sendo esquecido com frequência, é que muitas contribuições científicas foram feitas por Cristãos e que o processo de descoberta não afetou sua fé, mas a deixou mais forte. Essas pessoas fazem com que seja lembrado que a ciência não é uma ameaça, mas um caminho que pode ser seguido com confiança, sabendo que toda verdade pode apenas ser revelada como a verdade de Deus. Aproveitando o espírito explorador, aqui há uma lista de alguns cientistas que fizeram descobertas revolucionárias e que eram Cristãos.


Um dos geneticistas mais habilidosos do mundo, Francis Collins ajudou a concluir a pesuisa no DNA humano e nas sequências de gene como um dos líderes no Human Genome Project. Collins, que atualmente é o Diretor do Instituto Nacional de Saúde dos EUA, é também apaixonado por outro assunto: Explorar os cruzamentos da ciência de sua fé Cristã por meio de seu projeto "BioLogos". Em seu bestseller de 2006, "A Língua de Deus" (tradução livre), Collins discute seu ponto de vista na evolução teística, sugerindo que Deus é o mestre, criado e responsável por todos os eventos que levaram a vida. Ele também possui voz ativa no Cristianismo atual: A fundação BioLogos é responsável por promover o diálogo entre fé e ciência, sendo até reconhecido pelo Papa Benedito, recebendo uma indicação à Pontífica Academia das Ciências do Vaticano.


Johannes Kepler crê em um criador brilhante, que deseja que sua criação seja descoberta, sua crença foi o fator que o motivou a desenvolver seu trabalho nas leis de movimento planetário. Kepler acreditou que a projeção do universo, no qual a pesquisa feita em 1600 fora um colaborador, criou uma imagem detalhada do Deus da Bíblia, aquele pelo qual ele era tão fascinado.


A vida e obra de Galileu Galilei foram marcados por um conflito irônico: Apesar de ser um Cristão devoto, ele foi perseguido pela igreja devido seu incrível trabalho como cientista. Obviamente, um dos mais importantes e mais influentes físicos, astronômos, inventores e cientistas que já existiu, Galileu fez um abordagem não literal das Escrituras na qual a Igreja Católica de 1600 entendeu que a Terra era o centro do universo. A pesquisa revolucionária de Galileu focada na rotação da Terra foi considerada herege e após anos de debates e problemas com as autoridades religiosas, ele foi forçado pela Inquisição a se retratar. O cientista passou o resto de sua vida preso em sua casa. Hoje, entretanto, sua pesquisa e seus ideais forneceram uma base para um melhor entendimento do mundo.


Parte da equipe que descobriu a fissão nuclear (pela qual, Otto Hahn, seu parceiro, ganhou um Prêmio Nobel), Meitner nasceu em uma família judía em Viena, mas se converteu ao cristianismo. Ela foi a segunda mulher a conquistar um doutorado em física na Univerisdade de Viena, e a primeira professora de física na Alemanha, antes de ser forçada a deixar ao país devido à Segunda Guerra Mundial. Fato interessante: o elemento químico, Meitnério foi nomeado em sua homenagem.


Bacon era um Anglicano devoto que definiu seu objetivo científico como sendo a busca pela verdade, a serviço de seu país e da Igreja. Conhecido por estabelecer e popularizar a metodologia científica, ele foi o primeiro cientista a ser condecorado cavaleiro. Ele possuia uma visão da ciência que excedia o limite humano, procurando saber mais sobre Deus, dizendo que "um pouco de filosofia leva o homem ao ateísmo, mas um vasto conhecimento filosófico leva o homem a religião."

Apesar de ter uma visão ligeiramente não ortodoxa, Newton percebeu que Deus é essencial para a existência do espaço. "A gravidade explica a movimentação planetar, mas não explica o que iniciou esse evento. Deus governa todas as coisas e sabe tudo o que pode e deve ser feito," declarou. Newton tinha interesse por teologia, nos quais tentou explicar alguns aspectos da história bíblica em obras como "Um Relato Histórico de Duas Grandes Alterações das Escrituras" (em tradução livre). Ele também se dedicou aos estudos da numerologia bíblica, tentando encontrar mensagens ocultas nas Escrituras.

Uma ameaça tripla, de certa forma, Padre Pinsent é um padre Católico, Pesquisador no Harris Manchester College e Diretor de Pesquisa do Iam Ramsey Centre for Science and Religião em Oxford. Alguns de seus primeiros trabalhos (cerca de 31 volumes como co-autor) contribuíram para a criação do Grande Colisor de Elétrons e Pósitrons na Organização Europeia para Investigação Nuclear (CERN), mas resolveu se voltar ao trabalho mais filosófico, com um Ph.D em Filosofia pela St. Louis University. Mais uma adição à suas graduações em filosofia e teologia da Pontifical Gregorian University e seu Ph.D em Física no Merton College. Quando não está fazendo pesquisas científicas, ele trabalha com teologia. Seu livro, "A Perspectiva em Segunda Pessoa da Ética de Aquinas: Virtudes e Doms" (em tradução livre), foi publicado em 2012.

Como um Padre Beneditino e um físico renomado, Jaki passou sua vida como criador uma relação harmoniosa entre ciência e religião, escrevento mais de duas dúzias de livros sobre o tema. Ele é famoso por reforçar a teoria de que a pesquisa científica moderna não só é capaz conviver com a religão, mas também pode ser desenvolvida dentro de uma comunidade Cristã. Na verdade, foi seu trabalho que lhe garantiu o Prêmio Templeton, que é concedido a aqueles que trabalham tornandoa espiritualidade em fato. E ele era tão qualificado para fazer isso como qualquer outro. Jaki recebeu um doutorado em teologia na Pontifical Atheneum de St. Anselm, e um em física na Fordham University.

Mike Hulme é o autor do grande "Porque Não Gostamos de Mudanças Climáticas" (em tradução livre), que foi um dos quatro livros de ciência e tecnologia do The Economist em 2009. Desde que recebeu seu Ph.D em climatologia da University of Wales, ele tem sido uma voz Cristã na realidade sobre a mudança climática, a qual ele subdividiu em cinco rigorosas, mas notáveis lições: 1. "Mudança climática é um risco relativo e não absoluto." 2. "Riscos climáticos são sérios e devemos minimizá-los." 3. "Nosso mundo possui grandes demandas desenvolvimento que não são atendidas." 4. "Nossa fonte de energia atual não é sustentável." 5. "Geoengenharia sólida e deliberada do planeta é uma prática duvidosa."




Por Tyler Huckabee, Jesse Carey e Dargan Thompson 
Tradução Pedro Blasque

2 comentários